Alquimista do Saber

“Se escrevo o que sinto é porque assim diminuo a febre de sentir.” Fernando Pessoa

Criei esse blog no intuito de extravasar em palavras o que me sufocava por dentro, usando a escrita - através de devaneios, de ideias ou qualquer sentimento que brotasse no momento em que abrisse o word - como um meio de respirar algum tipo de alívio paliativo dos tormentos insones da madrugada. Com essa nova tática fiz do meu blog meu conselheiro ,meu amigo, meu remédio e meu divã, as noites que procurei consulta nesse psicólogo foram sempre regidos por uma amiga fiel, que quando de forma intensa procurava-me e com toda força possuía-me me inspirava e me dava o tempo necessário, para que como hoje pudesse escrever alguma coisa. Alguém quem saber quem é ela? Leia essa chatice abaixo que por seu companheirismo, tormento e inspiração resolvi lhe dedicar toda essa prolixa descrição.

Que tormento és tu que me fazes ter medo de ficar sozinho, fazendo-me buscar fora do conforto do meu leito a paz e o descanso diário que preciso?  Que perversa és tu que me fazes ver clarear o dia na solidão e na ociosidade do tempo? Que terrível és tu que fazes minha noite virá dia e meu dia virá cansaço? Que onerosa és tu que me maltrata com indagações introspectivas, com anseios do devir e com dores nostalgicas do que não pode voltar? Que perniciosa és tu que me aflinges com traumas e de forma sorrateira vem com sua dominação completa de meus pensamentos, fazendo-me pensar no que não quero? Que bandida és tu que me rouba a tranquilidade, me furta o repouso e inescrupulosamente me aprisiona em um hiperativadade sem fim? Que persistente és tu que diariamente me procura sem eu te querer, exigindo de mim tua total atenção?  Quão odiosa és tu que me tira a bondade e alegria para provar que és má? Que sequestradora és tu que encapuça minha normalidade e me faz viver em um rotina de um louco? Que droga és tu que me ofereces remédios e tranquilizantes, querendo destruir minhas forças físicas, por não achar pouco destruir apenas minha mente? Que química és tu que enlouqueces meu cérebro e suga minhas substâncias essenciais? Que torturante és tu que se regozija da minha intranquilidade? Que maléfica és tu que como uma harpia perigosa finca tuas unhas suja em meus sonhos e me faz voar em ares sujos do desespero? Que maníaca és tu que gostas de me atormentar o dia me fazendo procurar as efemeridades da noite? Que possessiva és tu que não se importa com meu vilipêndio e não me abandonas nunca, pois sempre quer a minha atenção?  Que detestável és tu que escolheu me amar por minha fraqueza sentimental? Que sem escruspulos és tu que não se compadece de mim? Que covarde és tu que me jogou em um labirinto sem saída com caminho sinuosos? Que medrosa és tu que não se contentastes de me maltratar sozinha e chamastes tuas amigas para perfurar com ódio e rancor minhas emoções?

Que criativa és tu que abre minhas veias poéticas? Que loucura és tu que faz brotar em mim sentimentos quem sem vc não consigo sentir com tanta intensidade? Que poderosa és tu que customiza o tempo fazendo ele parecer ter mais de 24 horas, me fazendo passear no ramo das artes observando-me silenciosamente inspirar-me com a música, filmes e poesias? Que caravela és tu que me fazes navegar em oceanos de pensamentos impulsionado pelos ventos da criatividade, reflexões e abstrações literárias? Que egocêntrica és tu que me inspira a falar sobre si mesma?

Quem és tu que me conveces que o céu é infinito? Quem és tu que fazem da minhas palavras poesias e da minhas poesias vida? Quem és tu que me inspira a desabafar minhas angústias através de palavras? Quem és tu que me fazes tornar um blog um divã? Quem és tu que me fazes deixar de sonhar subconscientemente pra fazer-me sonhar conscientemente? Quem és tu  que me fez apaixonar-me pela madrugada e detestar o dia? Quem és tu que me fazes ver adormecendo ao meu lado a minha amada fazendo-me invejar seu sono tranquilo? Quem és tu que só vai embora sobre embalos de canções? Quem és tu que sem pestanejar vai embora quando uso o psicotrópico tetra-hidra-canabinol? Quem és tu desgraçada infame, prostituta insaciável, maldosa, vil e opulenta ? Quem és tu meretriz sanguessunga? Quem és tu agiota usuária que me cobra exorbitantes juros hiperativos por algumas horas de sono? Quem és tu mal do século infectada pelo opróbrio incensante da correria da modernidade? Quem és tu que aprisiona o relógio e me faz perder a contagem do dia? Quem és tu sanguinária possessiva que já me fez chorar, desesperar, amedrontar, sonhar e ver as estrelas? Qume és tu dualidade de vilanias e virtudes? Quem és tu espectro do mal com auréolas do bem? Quem és tu paradoxo incongruente de letras disformes? Quem és tu  espiã de segredos pessoais? Quem és tu  amiga insaciável que me faz querer beber todas as gotas de vinho possível? Quem és tu que entorpece meus pensamentos de devaneios fazendo balbuciar de forma escrita loucuras? Quem és tu que me fazes sentir-me esquizofrênico e anormal? Quem és tu que me ajuda a refletir sobre as melhores decisões? Quem és tu que me fazes agir precipitadamente? Quem és tu que se tornou companheira das minhas noites e já me fazes esperar-te sabendo da tua pontualidade e assuidade? Quem és tu que me fazes olhar de vez em quando as estrelas, tomar um leite quente na madrugada, procurar as notícias que o dia corrido não me deu tempo ler, que me fazes ler um livro de forma incensante, que injeta heroína psicodélicas sobre meus pensamentos e que me fazes lembrar da pessoa amada durante toda noite, fazendo desejar-lhe que quando o sol apareça  derrame serotina sobre seu cérebro dando ao seu corpo a vontade de sorrir e possivelmente a esperança de lembrar de mim? Quem és tu que me fez repetir várias quem és tu e não se contenta com a prolixidade desse texto?





- Quem és tu ? (digo eu)
- Ok, vou falar, mas peço-te que me reveles por códigos. (diz ela)
- Tudo bem.




Ainda bem que me falastes a tempo... sim, eu tinha plena certeza que eras tu, agora que já sei quem és, peço-te que se retire do meu quarto, prometo colocar Bob Dylan que tu tanta gostas de ouvir, para velar meu sono por vários minutos até ir embora.
Amigos acho que ela já se acalmou agora dormirei antes que ela resolva voltar.

Saudações Insones Para Quem Dorme


3 Comentários:

Nooooooooooooooossa, eu li TUDO! Até me perdi no meio. É prolixo, mas é poético :D Obrigada, amigo de tão tão distante.

Bom texto

Bom texto

Postar um comentário

Facebook

Pesquisar este blog

=D

Minha foto
Rio Branco, Acre, Brazil
Wesley Diógenes

Criar seu atalho
Contato: wesley_diogenes@hotmail.com Quero explicar que o nome alquimista do saber vem da ideia de uma busca constante do conhecimento e do aprendizado, é como se fosse um aventureiro em busca de uma dialogia de filosofias para chegar a um determinado conhecimento, o nome do blog não passa de uma analogia e não se configura como uma prepotência da minha parte.

Chat de Impressões sobre o Blog e Discussão

Citações

Brilhar para sempre,

brilhar como um farol,

brilhar com brilho eterno,

gente é para brilhar,

que tudo mais vá para o inferno,

este é o meu slogan

e o do sol.

Vladimir Maiakóvski


Os que mais amam são os mais egoístas - Dostoiévski


Já dizia Dostoiévski em os Irmãos Karamazov: "SE DEUS não existe e a alma é mortal, tudo é permitido"


"A memória do coração elimina as más recordações e magnifica as boas, e graças a esse artifício, conseguimos superar o passado." Gabriel García Márquez


"Um alquimista é aquele que vive sua lenda, Desbrava o desconhecido, que sabe que para chegar ao impossivel tem que caminhar por caminhos impossiveis. Brilha sua luz!Sua individualidade coletiva questionadora. Vamos nessa! Navegar é preciso." Clenilson Batista

Viagem Sensorial

Viagem Sensorial
Nas busca irreal do real, vivemos a loucura como o refúgio de não conseguirmos jamais nos adaptarmos à normalidade.

Livros Favoritos

  • Almas Mortas
  • Amor nos Tempos de Cólera
  • Cem Anos de Solidão
  • Crime e Castigo
  • Do Amor e Outros Demônios
  • Dom Quixote
  • Elogia da Loucura
  • Lolita
  • Mais livros no site http://www.skoob.com.br/usuario/mostrar/144017
  • Metamorfose
  • O Anticristo
  • O Cortiço
  • O Morro dos Ventos Uivantes
  • O Pequeno Príncipe
  • Os Irmãos Karamazov
  • Águas para Elefantes
Ocorreu um erro neste gadget

Ah chinnnn, ops Che!

Ah chinnnn, ops Che!

Adooroo

Adooroo

Surrealismo

Surrealismo