Alquimista do Saber

“Se escrevo o que sinto é porque assim diminuo a febre de sentir.” Fernando Pessoa





Tive um fim de semana altamente estúpido, mostrei o quanto posso ser vil e ordinário, um riso de alegria veem aos lábios, uma tortura psicológica na mente e uma infinidade de pensamentos soltos. Percebi antes de qualquer coisa, que ser estúpido ajuda na criatividade. Mas vamos lá, a muito tempo venho trabalhando ou pelo menos reconhecendo meus mesquinhos defeitos. É legal saber com o que você está lidando, com o que irrita as pessoas, como se você tivesse assistindo em uma TV suas próprias atitudes, mas em vez de corrigi-las, apenas aprecio como algo qualquer. Ouço sempre pessoas comentando o quanto sou idiota, chato, insuportável e afins, sou tão acostumado que isso já se tornou até comum. Como não quero ser estúpido de falar e falar sobre estupidez, tentarei ser um estúpido de ideias estúpidas com uma pitada de surrealidade, psicodelismo e um pouco de loucura.  




Dizer que não estamos nem aí para a opinião alheia é uma mentira que acho ser altamente estúpida, sempre tentamos alçar algum tipo de reconhecimento, seja ele do grupo que estamos inserido, na família, enfim, qualquer lugar que tenha algum tipo de relação interpessoal. Vivemos sempre apresentando o que achamos que somos, uns se mostram tímidos, outros extrovertidos, chatos, interessantes, bonitos, feios, inteligentes, arrogante e vários outros adjetivos pra chegar na classe da qual vos falo que é a dos estúpidos.


Não interprete o fato de me reconhecer como estúpido como um pessimismo, mas sim uma dedução de minhas próprias atitudes, poderei mudar isso? Claro que sim! Tudo podemos... Mas qual o sentido de mudar, não estaria sendo um estúpido fazendo isso? anormalidades, idiotices, maluquice, falta de senso, de noção, de juízo, são as características que vem enraizado nessa estupidez surreal e porque chamá-la de surreal? Todo esses adjetivos e ações, são algo real que criamos através do que acreditamos ser verdade através da nossa psique, criamos uma face de representação para o meio social que queremos exercer cada uma das características acima citadas. 


Outra coisa que a estupidez que estou falando traz consigo é a insensibilidade, muitas vezes procuro no meu profundo âmago um arrependimento das horríveis atitudes que tomei, só para dizer para o meu ego que não sou tão estúpido, mas não consigo encontrar, meu ego possui um exército que destrói meu lado altruístico e muitas vezes racionais. Vencer, vencer, não se contentar nunca com a derrota, são pensamentos estúpidos, eu sei, mas é o surreal que criei e convivo, mostrar-se superior também, horríveis características carregada da suposta qualidade criada que é a sinceridade para os revelar. Creio ter outras qualidades, claro que tenho, afinal sou um estúpido-egocêntrico-arrogante, mas é preciso vencer essa barreira altamente chata, ou seja conseguir me aturar, para encontrar algum tipo de qualidade. Não gosto de escrever na primeira pessoa como fiz em alguns momentos, mas seria um estupidez chamar todos que estão lendo de estúpido e não gosto de ficção, talvez por ser estúpido.





Só quem puder obter a estupidez
Ou a loucura pode ser feliz.
Buscar, querer, amar... tudo isto diz
Perder, chorar, sofrer, vez após vez.

A Estupidez achou sempre o que quis
No círculo banal da sua avidez;
Nunca aos loucos o engano se desfez
Como quem um falso mundo seu condiz.

Há dois males: verdade e aspiração,
E há uma forma só de os saber males –
É, vivendo-lhe o ser, saber que são

Um o horror real, o outro o vazio –
Horror não menos, dois como que vales
Ao pé dum monte que ninguém subiu.


Fernando Pessoa - 1909



Essa postagem não é um auto-flagelo porque na verdade não me incomodo com a estupidez, não me incomodo com esses horríveis defeitos, o que me incomoda é o fato de não poder externar com atitudes, palavras ou em um texto como sou estúpido, estupidez essa que magoa o próximo, que irrita quem assiste e que fatalmente torna sombrio quem o faz. A dialogia desse texto estúpido com imagens surreais lindas, é o que vivo com minha estupidez, faço belas pinturas mediado pela idiotice, tornando irreal o que sou, surreal o que tento ser e mentiroso o que digo ser. Tudo é surreal, porque tudo é um jogo, ser estúpido é um jogo, dizer que sou estúpido é um jogo, dizer que jogo é um jogo... enlouqueço a minha própria razão com minha incoerência gritante de mutações surreais intermináveis.



Somos os deuses de nossa realidade, criamos as pessoas que estão a nossa volta, criamos uma visão sobre elas, sobre o que nos cerca, sobre o que é bom, o que é ruim e principalmente criamos a nós mesmo, com nossos adereços, fantasias, sonhos, falas, nossa platéia, nosso ritmo, nosso mundo. Temos o poder de criar deuses, temos o poder de criar não acreditar neles, temos tanto poder que nos tornamos fracos. A indagação do que queremos é um stigma que carregamos e temos que suportar. A realidade é um mundo de sonhos, onde tu pode acontecer, o surreal é isso, acreditar viver um sonho que acreditamos ser realidade, ou uma realidade que acreditamos ser um sonho, ê laiá, o mundo que criei é imenso como o cosmo, sou uma fagulha na frente dele, mas apenas um singelo movimento meu o transforma, fazendo o caos e a beleza, o feio e o bonito, o amor e o ódio, todas as dicotomias possível até chegar no 'legal e estúpido.'





Saudações Estúpidas e Surreais

5 Comentários:

Sua estupidez me faz um bem danado. :X

Muito legal...as imagens e o vídeo. Curti!

Eu sinto falta da solidão, mesmo ela habitando em mim, queria ficar só pra organizar meus pensamentos, pois o som ensurdecedor que o silencio ressoa me enlouquece... dizem que ninguém morre de amor, mais ele mata os sonhos, e viver sem sonhos é como não viver. Que dor de cabeça terrível, que vontade de ficar só. Sinto como se alguém habitasse em mim, e nossas personalidades se misturaram de tal maneira, que já não sei mais qual parte pertence a mim. Sinto-me a beira da loucura, e vejo outros loucos viverem normalmente, Eles tem seu próprio mundo... Queria poder piscar e olhar no relógio ser a hora de ir embora, porque não posso estabelecer meu próprio horário? Dizem que somos livres mais a liberdade nesse caso é relativo, estamos todos presos a sociedade e submissos a ela, fazemos o que ela determina e não questionamos por ter a certeza de que esta certo.

Que coisa linda, pena que você postou como anônimo e não posso trocar uma ideia com você e agradecer o belíssimo e rico comentário que achei altamente profundo. Agradecido anônimo!

palavras que sofrem, palavras que amam...palavras que podem ser tudo e optam pela humildade...

Postar um comentário

Facebook

Pesquisar este blog

=D

Minha foto
Rio Branco, Acre, Brazil
Wesley Diógenes

Criar seu atalho
Contato: wesley_diogenes@hotmail.com Quero explicar que o nome alquimista do saber vem da ideia de uma busca constante do conhecimento e do aprendizado, é como se fosse um aventureiro em busca de uma dialogia de filosofias para chegar a um determinado conhecimento, o nome do blog não passa de uma analogia e não se configura como uma prepotência da minha parte.

Chat de Impressões sobre o Blog e Discussão

Citações

Brilhar para sempre,

brilhar como um farol,

brilhar com brilho eterno,

gente é para brilhar,

que tudo mais vá para o inferno,

este é o meu slogan

e o do sol.

Vladimir Maiakóvski


Os que mais amam são os mais egoístas - Dostoiévski


Já dizia Dostoiévski em os Irmãos Karamazov: "SE DEUS não existe e a alma é mortal, tudo é permitido"


"A memória do coração elimina as más recordações e magnifica as boas, e graças a esse artifício, conseguimos superar o passado." Gabriel García Márquez


"Um alquimista é aquele que vive sua lenda, Desbrava o desconhecido, que sabe que para chegar ao impossivel tem que caminhar por caminhos impossiveis. Brilha sua luz!Sua individualidade coletiva questionadora. Vamos nessa! Navegar é preciso." Clenilson Batista

Viagem Sensorial

Viagem Sensorial
Nas busca irreal do real, vivemos a loucura como o refúgio de não conseguirmos jamais nos adaptarmos à normalidade.

Livros Favoritos

  • Almas Mortas
  • Amor nos Tempos de Cólera
  • Cem Anos de Solidão
  • Crime e Castigo
  • Do Amor e Outros Demônios
  • Dom Quixote
  • Elogia da Loucura
  • Lolita
  • Mais livros no site http://www.skoob.com.br/usuario/mostrar/144017
  • Metamorfose
  • O Anticristo
  • O Cortiço
  • O Morro dos Ventos Uivantes
  • O Pequeno Príncipe
  • Os Irmãos Karamazov
  • Águas para Elefantes
Ocorreu um erro neste gadget

Ah chinnnn, ops Che!

Ah chinnnn, ops Che!

Adooroo

Adooroo

Surrealismo

Surrealismo